Fly me to the Moon

Apollo 11
Armstrong, Collins e Aldrin.

Eu não havia escrito nada sobre a morte do Neil Armstrong porque, para falar a verdade, me pareceu clichê. Mais uma sadface na internet, sem significado nenhum. Hoje, vendo a mensagem do Buzz Aldrin sobre o falecimento do seu amigo, Neil Armstrong, me veio à cabeça uma coisa que eu nunca tinha pensado antes: eles eram amigos.

Eu nunca pensei nos dois como amigos. E eu nunca pensei no quão significativa essa viagem realmente foi para ambos.

Eu comecei a lembrar de viagens que eu fiz com meus amigos. Viagens que eu fiz com desconhecidos, com colegas de trabalho, com minha namorada; e como isso me modificou e modificou minha relação com essas pessoas.

Pessoas! Eu lembrei que nessas minhas viagens haviam pessoas! Na Lua, não havia ninguém esperando por Armstrong e Aldrin. Nada. Na Lua, não havia uma mísera indicação de que algum dia alguém pisou naquele local!

Quando o homem chegar à Marte, haverá ao menos dois Rovers e um satélite circulando o planeta. É provável que nunca mais um ser humano passará pela sensação que Armstrong e Aldrin tiveram ao alunissar. “Nunca” é um longo tempo, mas no caso deles é bem provável que eu esteja correto ao usar essa palavra.

Como eu pude imaginar que duas pessoas poderiam passar por uma experiência dessas sem que nascesse uma amizade?

Pela primeira vez eu consigo sentir no meu peito, e preso na garganta, um verdadeiro sentimento de perda pelo Neil Armstrong. Neste momento, só uma pessoa no mundo sentiu o mesmo que ele. E essa pessoa perdeu o único amigo que sabia como ele se sentia.

Anúncios

3 comentários sobre “Fly me to the Moon

  1. Cara, depois de tanto tempo sem contato contigo e apareço no teu wp e leio isso…
    É como se tivesse agora uma epifania! nunca pensei nisso sobre as minhas viagens: pessoas!
    Agora, lembrando de todos os eventos que a gente fez, e todas as reuniões da toca, me dei conta que também já viajamos muitas vezes juntos, através das histórias e assuntos tolkienianos (ou pelo menos na maionese!).
    Foi uma luta te encontrar no face, mas vejo que valeu a pena.
    Bom te reencontrar!

    1. É muito bom te rever também, Edu.

      Definitivamente, os eventos que nós fizemos juntos foram uma longa jornada em que eu só tinha tu, o Shura e minha mãe do meu lado sempre. Só vocês são capazes de compreender pelo que passamos juntos.

  2. Foi ótimo ler isso. Faz muito tempo que li Os Eleitos, e depois que li esse livro, nunca deixei de ficar tocada com as histórias das pessoas envolvidas com a exploração espacial – com tudo o que antecedeu a viagem da Apollo 11. Eram homens fortes, aqueles.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s